terça-feira, 17 de janeiro de 2017

A força da mídia no processo de impeachment

video



Programa especial


Momentos que marcaram a nossa trajetória em 2016







Fórum Social das Resistências debaterá papel da comunicação e da cultura para a defesa da democracia - Porto Alegre, 17 a 21/01

Escrito por: Redação
Fonte: Intervozes
Frente ao crescente processo de retrocessos políticos, sociais, econômicos e o aprofundamento da crise ambiental, várias iniciativas de coletivos, movimentos e organizações sociais tem construído processos de luta e resistência. Reunir estas várias experiências para troca de informações, criar pontos de contatos e pensar formas de unir e acumular forças é o objetivo do FÓRUM SOCIAL DAS RESISTÊNCIAS – por democracia e direitos dos povos e do planeta, que começa nesta terça (17), em Porto Alegre/RS, e vai até o dia 21 de janeiro. A data escolhida para o encontro é, uma vez mais, para marcar a contraposição ao Fórum Econômico de Davos, que congrega o pensamento neoliberal responsável pela crise civilizatória que a humanidade vive.
O Fórum das Resistências ocorre no âmbito das dinâmicas e metodologias horizontais que caracterizam os processos do Fórum Social Mundial e pretende contribuir com a dinâmica de renovação e ampliação do próprio FSM. O encontro começa no dia 17 com um grande ato internacional em defesa das lutas e resistências no Brasil, na América Latina e no Mundo. Já os dias 18 e 19 serão dedicados a grandes debates de convergências das temáticas centrais dos processos de resistências. Os dias 20 e 21 de janeiro de 2017 serão reservados para as agendas e atividades autogestionadas no Parque Farroupilha, onde acontecerão atividades político culturais, mostras, expressões artísticas e atos políticos.
A comunicação no Fórum das Resistências
Direito central para a construção de qualquer sociedade democrática, a comunicação também será foco de muitos debates no Fórum em Porto Alegre. Uma plenária temática acontecerá no dia 19, às 9h, no Sindicato dos Bancários, com o objetivo de construir uma agenda de lutas para 2017, a ser compartilhada entre os movimentos que trabalham com o direito à comunicação e à cultura de resistências.
No dia 19, às 19h, o Fórum Mundial de Mídia Livre – iniciativa da qual o Intervozes participa desde a fundação – promoverá o debate “Cinema e Culturas de Resistências”, com a presença dos cineastas Silvio Tendler, Joel Zito, Tata Amaral e Eliana Caffee. Será no cinema do Sindicato dos Bancários.

No dia 20, às 10h, no auditório do Memorial do Rio Grande do Sul, o Intervozes organiza, em parceria com o Fórum Mundial de Mídia Livre, uma oficina sobre a campanha Mídia sem Violações de Direitos. Propagando discursos autoritários e populistas, os chamados programas policialescos atacam frequentemente os direitos humanos e a legislação em vigor, além de infringirem normas que orientam a prática jornalística. Um monitoramento realizado pela ANDI, em parceria com a Procuradoria Federal dos Direitos dos Cidadãos, o Intervozes e a Artigo 19 revelou mais de 4.500 violações de direitos em apenas 28 programas, de dez estados, ao longo de um mês. Os impactos na promoção de uma cultura legitimadora da violência e contra os direitos humanos são enormes.
Diante desta realidade, mostrou-se necessário chamar a atenção da sociedade e pressionar para que os órgãos responsáveis pela fiscalização dos meios de comunicação e pela garantia de direitos atuem. Apostando no engajamento da população e tendo em vista a ausência de espaços para denunciar problemas que vemos na mídia, nasceu então a campanha “Mídia sem violações de direitos”, que conta com uma plataforma online para receber e encaminhar denúncias. A oficina em Porto Alegre, além de debater o tema dos policialescos de maneira geral, vai apresentar o funcionamento da plataforma de denúncias, o ranking com os programas que mais violaram direitos no último ano e convocar ativistas, organizações e movimentos para se somarem nesta luta contra as violações de direitos humanos na mídia.

Participe!